“Trotes nas faculdades, bulings nas escolas e a coisificação do ser humano”


No post passado, ( “O Trote nas faculdades e a saúde emocional na Medicina.”)comentei sobre o trote recente na faculdade de medicina em Franca, São Paulo, e a falta de equilíbrio nos seus alunos, porém fiquei refletindo sobre o assunto, e percebi que essa falta de equilíbrio não é um problema pontual na faculdade de medicina, mas nela torna-se extremamente chocante pelo fato da medicina ser uma profissão que trabalha com a saúde. Só que este infelizmente é um grave problema que precisamos todos juntos dar uma real atenção, para que juntos possamos entender melhor a razão do problema e por fim, ir solucionando esse quadro que se formou!

De uns anos para cá, nota-se uma forte dose de agressividade nas crianças e adolescentes, são os chamados bulings nas escolas, que por motivos banais, mesquinhos, brigas feias acontecem, pessoas são rechaçadas, excluídas, por nenhum motivo justificável!!!

E isso não é uma questão de classe social, isso está acontecendo em todas as classes sociais!

Trotes e bulings acontecem tantos nos bons colégios e faculdades, como na periferia, não é diferença de classes sócias, é um problema geral que atinge a sociedade contemporânea.

Então resta-nos saber se para uma pessoa cometer algo de tão cruel ela precisa ter uma anomalia, assim como os psicopatas, que não percebem os sentimentos alheios, por isso causam tanto mal e sofrimento para seus semelhantes sem sentir remorso, culpa ou dor, ou se ela sem nenhuma patologia pode colocar fogo em um morador de rua, bater em uma empregada, ou mesmo achar que tem direito de tirar a vida de qualquer pessoa que seja por qualquer motivo por que decidiu que ela não tem valor, ela é uma coisa!

Estudo feito por Simon Baron Cohen cientista que dentre muitas pesquisas, desenvolveu uma teoria que chamou “A ciência do Mal” sobre o tema da crueldade, Baron Cohen fez as seguintes perguntas:

-Existe uma justificativa para se tornar cruel?

-Precisa ter uma anomalia para ser cruel?

-Qualquer um pode se tornar cruel?

- Qual a origem da crueldade?

O ser Humano possui um sistema empático com 3 áreas principais.

Uma delas é o reconhecimento facial, a área para reconhecer seres humanos, e a outra para reconhecer coisas, objetos. Quando identificamos um ser humano, a área neurológica, muda de região. Essa área começa a se desenvolver aos 6 meses de idade.

Quando identificamos um ser humano, nos identificamos com ele, temos empatia por ele, ou deveríamos ter... Isso se chama espelhar... Porém quando uma pessoa não consegue identificar um ser humano, ele o identifica com objetos, isso é coisificar, não consegue ter empatia, isso é psicopatia.

Mas o fato é que não é necessária anomalia cerebral para mostrar um traço cruel ela pode mesmo desenvolver intelectualmente.

Viktor Emil Frankl que desenvolveu a terapia dos sentidos conceituou que todos nós precisamos de um sentido na vida! E o que foi constatado e que não está relacionado com classe social, com poder monetário, já que o índice de suicídio também vem aumentando muito, e não é nas classes de baixa renda, é que quando uma pessoa perde o sentido pela vida, perde seus sonhos, começa coisificar!

As pessoas atribuem sentidos e valores para tudo.

Aprofundando mais ainda, foi estudado que é possível coisificar pessoas!

As pessoas de tanto falar e repetir uma ideia, ela passa a ser real!

E para etnias, já é real, ex:

-Esse gênero não é gente! Em muitas sociedades a mulher não tem valor.

-Essa raça não é gente! Para muitas pessoas, e religiões, raças não tem valor.

-Gente que tem essa religião não é gente! Religião é uma questão étnica, cultural, e de escolhas. Não é algo que se possa julgar ou atribuir valores!

Lembre, quando falamos que pensamos que alguém não é gente, validamos o fato de poder ser certo, a humilhação, o escarnio, a agressão física, levando até a morte!

Outros exemplos, Atenção!

-Ele é de esquerda não é gente!

-Ele é de direita não é gente!

-Ela é puta não é gente!

-Ele é homossexual, não é gente!

-Ele é obeso, não é gente!

-Ele é um pedófilo não é gente! ( Ele é doente! Extremamente doente! É gente! Não nós dá o direito de tirar sua vida como acontece muito, pessoas decidem linchar!)

Lembram- se daquela pesquisa que fizeram com aquela criança que foi esquecida em um lugar publico? Quando ela estava bem vestida todos iam ver se ela estava bem, e se precisava de algo, onde estavam seus pais, mas quando a mesma menina estava mal vestida e suja, ninguém ia ver se ela precisa de alguma coisa, e até afastavam ela da mesa! Isso é atribuir um valor, a menina bem vestida é gente, a menina mal vestida aos olhos de muitos, é um estorvo da sociedade, é sobra, é coisa!

Porque muitas pessoas, quando ao adquirir um bem de um produtor pequeno, querem colocar valor no produto da pessoa, geralmente pagar menos, desvalorizar, por que já atribuiu lhe o valor que por ser um produtor pequeno, não tem valor, deve ganhar pouco, é um perdedor!

E essa mesma pessoa, vai a um restaurante famoso, caro, do "chef" da moda, gasta uma fortuna, e deixa uma gorjeta bem gorda na mesa, ele é um vencedor, tem valor!

O estudo é muito extenso, para simplificar para vocês, a origem do problema está na falta de convívio das crianças com suas famílias, que estão deterioradas em boa parte, os pais, tendo que cumprir uma rotina de trabalho maçante, homem e mulher, juntos trabalham fora, tem suas profissões, (oque é louvável e faz parte da evolução, mas está fora do equilíbrio) o filho tem que sozinho ser estimulado, e os valores foram sendo modificado, o carinho foi substituído pelo consumo, cursos e presentes. Os pais se preocuparam em alfabetizar, fazer cursos, consumir lazer, diversão, roupas, prazer, mostrar o que é ser um vencedor. Mas se esqueceram em alfabetizar emocionalmente e espiritualmente suas crianças!

Será que a perversidade infantil, não tem sua origem aí?

Percebo atualmente, as pessoas querendo tratar seu vazio, sua depressão com o consumo, com viagens. Nada contra viagens, elas são ótimas, viajar é um excelente investimento intelectual e cultural, porém quando existe um problema de saúde sério, não é com viagem que vai ser resolvido!

As pessoas dizem não ter dinheiro para pagar uma terapia, mas tem dinheiro para viajar. O vazio e a depressão continuam, e cada vez é preciso de mais dinheiro, para satisfazer tanta angustia tanta depressão, tanto vazio! O que as pessoas não percebem, é que a viagem que precisam fazer tem que ser interior, em busca de um sentido de vida, de valores nobres!

Com tudo isso, a busca pelo dinheiro cresceu, e pelos valores morais se perdeu.

O sentido real pela vida foi perdido, o ser humano foi coisificado, barreiras são rompidas, meninos são queimados, tudo por ambição humana!

Estou escrevendo tudo isso, porque acredito na sociedade, acredito na evolução, acho que grande parte da população esta despertando, outra grande parte já despertou!

Mas é preciso falar, refletir sobre os problemas, para que eles possam ser solucionados!

Mais diálogo, mais interação com os filhos, menos consumo. Estimulem-nos desde pequenos com brincadeiras, que façam pensar. Ensinem seus filhos a perder também, a sentir dor. Conte Estórias e histórias de vida!

Todos tem valor!

Não somos Deuses! Não Podemos sair por aí decidindo quem deve viver ou morrer, independente do que a pessoa tenha feito, isso é papel para a justiça!

Fica a reflexão!

Namastê!!!

Abraços Reikianos bjos budicos e afagos de Axé


Posts Em Destaque
Posts Recentes